Emílias na TV e no cinema

Uma das personagens mais importantes na literatura brasileira, a Emília de Monteiro Lobato.  Vamos mostrar aqui as  11 Emílias adaptadas para cinema e TV.

Feita por Tia Nastácia para a menina Narizinho, e transformada em uma boneca faladeira após tomar a “pílula falante”, Emília passou a “abrir sua torneirinha de asneiras” desde 1951, quando estreou no filme “O Saci”.

    1. Olga Maria (O Saci)
    2. Lúcia Lambertini (Sítio do Picapau Amarelo)
    3. Dulce Margarida (Sítio do Picapau Amarelo)
    4. Zodia Pereira (Sítio do Picapau Amarelo)
    5. Leda Zepellin (O Pica-pau Amarelo)
    6. Dirce Migliaccio (Sítio do Picapau Amarelo)
    7. Reny De Oliveira (Sítio do Picapau Amarelo)
    8. Suzana Abranches (Sítio do Picapau Amarelo)
    9. Baby Consuelo (Pirlimpimpim)
    10. Isabelle Drummond (Sítio do Picapau Amarelo)
    11. Tatyane Goulart (Sítio do Picapau Amarelo)

Olga Maria

A primeira a interpretar a boneca falante foi a atriz Olga Maria no filme O Saci, de 1951, dirigido por Rodolfo Nanni. Hoje nutricionista na Escola Paulista de Medicina, Olga fez um excelente trabalho em frente às câmeras e após trabalhar em Os anjos Não Têm CorO Palhaço e Moral em Concordata, saiu do meio artístico.

Lúcia Lambertini

Lúcia Lambertini estreou em TV Tupi em 1952, vivendo a Emília da primeira versão de Sítio do Picapau Amarelo pata Tv, personagem que marcou sua carreira em definitivo. Voltou a interpretar a personagem na versão do Sítio de 1964 exibida pela Tv Cultura. Faleceu em São Paulo vítima de um ataque cardíaco.

 Dulce Margarida

Dulce substituiu Lúcia Lambertini por duas vezes no Sítio nas ocasiões em que a atriz precisou ficar afastada da série, quando se casou e quando ficou grávida. Ficou definitivamente na série que era exibida para São Paulo, quando Lambertini mudou-se para o Rio para fazer a Boneca de Pano por lá.

Zodia Pereira

Em 1967 o Sítio ganhou uma nova versão exibida pela Tv Bandeirantes. O programa tinha agora Zodja Pereira no papel da boneca Emília.

Anos mais tarde Zodja ingressou na dublagem e hoje é proprietária da Central Dubrasil, responsável pela inserção de diversas novas vozes no mercado.

Leda Zepellin

Sob direção de Geraldo Sarno mais uma Emília foi para as telonas em 1973, agora interpretada por Leda Zepellin. A atriz ficou mais conhecida pelo seu trabalho como Chacrete. Trabalhou também em filmes como: Teu Tua, Porque Hoje é Sábado, Eu Dou O Que Ela Gosta e  Eu Transo, Ela Transa. Faleceu no início da década de 1990.

Dirce Migliaccio

Dirce foi a primeira Emília da adaptação mais conhecida do Sítio. Também ficou conhecida como uma das “Irmãs Cajazeiras” da telenovela O Bem-Amado, de Dias Gomes. Dirce Migliaccio era irmã do também ator Flávio Migliaccio. Faleceu de problemas respiratórios e infecção urinária em 2009.

Reny De Oliveira

Com a saída de Dirce Migliaccio do elenco do Sítio, Reny de Oliveira ficou com o papel da Boneca de Pano. Acabou por desistir da carreira artística ao ver que sua imagem estaria para sempre atrelada à personagem, apesar das tentativas de afastar-se dela quando, por exemplo, posou nua. Atualmente, Reny vive nos Estados Unidos, longe da carreira televisiva.

Suzana Abranches

A terceira Emília do Sítio foi feita pela Suzana Abranches. A personagem de Monteiro Lobato é o maior destaque da careira da atriz que participou de algumas novelas como Tudo ou Nada, A História de Ana Raio e Zé Trovão, Zazá e Floribella. Suzana voltou a vestir os trajes da Emília para apresentar as reprises da série na TV Educativa e na peça baseada no “Sítio” no Teatro Villa-Lobos.

Baby Consuelo

Em 1982 foi a vez da cantora Baby Consuelo dar vida a boneca.  Baby interpretava Emília e cantava o tema da personagem  “Emilia a Boneca Gente”. Com um tempero baiano todo especial, Consuelo fez uma Emília com figurino espacial e deu charme diferente a uma personagem já consagrada.

Isabelle Drummond

Emília voltou a ser criança na mais recente versão dos personagens de Lobato. A personagem recebeu uma interpretação primorosa da então menina Isabelle Drummond, que integrou o elenco da atração por seis anos consecutivos. Em 2007, despontou como Gina na novela Eterna Magia e em 2008, fez uma participação de dois capítulos na novela A Favorita.

Tatyane Goulart

Começou a carreira artística ainda pequena, em 1991, com apenas sete anos, na telenovela Felicidade, no papel da garotinha Bia, que lhe rendeu o Troféu Antena de Ouro. Em 2007 com a saída de Isabelle, Tatyane assumiu o papel até o final da produção e é a Emília mais recente em se tratando de adaptações da personagem.